HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DE SÃO GONÇALO

História e Imprensa Local: A Gazeta de São Gonçalo (1913-1937)

2019 - atual

A história da imprensa de São Gonçalo ainda está para ser escrita e muito já se perdeu. Trabalhos pioneiros foram realizados por Luiz Palmier, Godofredo Tinoco, Homero Guião e Maria Nelma de Carvalho Braga. Traçaram listagens com dados sumários relativos às datas de circulação e informações sobre os editores dos periódicos locais. A Gazeta de São Gonçalo foi o primeiro jornal local de periodicidade regular. Iniciou suas atividades, sob direção dos irmãos gêmeos Abílio e Belarmino de Mattos, em 1913 e circulou até 1937, quando Abílio de Mattos veio a falecer. Elegemos o jornal A Gazeta como objeto deste projeto acompanhando os atuais debates sobre a relação entre a história e a imprensa e também por compreender ser um conjunto importante para a construção da história local. Neste período, São Gonçalo configurava-se como um importante polo industrial e agrícola do Estado do Rio de Janeiro e passava por um processo de modernização pós emancipação político-administrativa. Buscamos também organizar, preservar e divulgar a Coleção do jornal A Gazeta de São Gonçalo em parceria com a Biblioteca Nacional.

Coordenador: Rui Aniceto Nascimento Fernandes

Financiamento: UERJ

Modernismo Fluminense: intelectuais e identidade no Estado do Rio de Janeiro (1917-1931)

2010 - 2013

Resumo: Entre 1917 e 1931, na antiga capital fluminense, foram fundadas diversas agremiações que congregaram os intelectuais. São desse período a Academia Fluminense de Letras (1917), o Cenáculo Fluminense de História e Letras (1923), A Renascença Fluminense (1923-1930) e a Academia Niteroiense de Letras (1931). Essas instituições se queriam espaços de consagração dos expoentes da intelectualidade local. Os anseios modernistas, de (re)descoberta do Brasil, em uma de suas vertentes investia em estudos regionais. Nesse sentido esses intelectuais procuravam compreender quem era o fluminense, definir sua identidade.

 

Coordenador: Rui Aniceto Nascimento Fernandes

Financiamento: UERJ

Memória e História Oral: histórias de vida no município de São Gonçalo

2010 - 2011

Resumo: O projeto teve como objetivo investigar aspectos da história recente do município de São Gonçalo e analisar os mecanismos de construção da memória na cidade, através de entrevistas com moradores. A coleta de depoimentos concentrou-se em três grandes temas: a Hospedaria de Imigrantes da Ilha das Flores, com participação de imigrantes e ex-funcionários da hospedaria; a Ilha do Sol, primeira colônia naturista do país fundada pela dançarina Luz del Fuego e cuja morte trágica deixou marcas na memória coletiva local; e a Identidade e Cultura Negra em São Gonçalo, a fim de analisar a trajetória de manifestações culturais negras no município. A história oral se apresentou como importante instrumento de construção da história local, ainda carente de acervos documentais organizados e de conjuntos documentais preservados.

Coordenadores: Alix Pinheiro Seixas de Oliveira e Rui Aniceto Nascimento Fernandes

 

A invenção do lavourismo: um estudo das práticas e representações políticas no município de São Gonçalo (1947-1975)

2005 - 2007

 

Resumo: O projeto analisou as transformações vivenciadas pelo município de São Gonçalo na segunda metade do século XX a partir da trajetória de Joaquim de Almeida Lavoura (1913-1975), maior liderança política gonçalense entre as décadas de 1950 e 1970. O lavourismo estabeleceu-se em um momento singular das transformações da cidade, a exemplo do crescimento populacional e do grande número de loteamentos entre as décadas de 1950 e 1970. Entre os objetivos da pesquisa, destacam-se: a investigação da história política no município de São Gonçalo na segunda metade do século XX; a caracterização dos processos que levaram à invenção do lavourismo, em seu duplo viés, como estilo e como grupo político (e as aproximações entre lavourismo e janismo); a identificação das práticas e representações que se constituíram em torno dessa identidade política, compreendendo que o lavourismo sofreu um processo de permanente atualização entre 1955 e 1975; a identificação do impacto dos diferentes arranjos políticos nacionais na política local, através da comparação entre o período democrático (1946-1964) e a ditadura militar (1964-1985); a discussão das transformações urbanísticas ocorridas pela prática generalizada dos loteamentos (transformação de propriedades rurais em lotes urbanos), que tornaram, em três décadas, São Gonçalo em uma das áreas mais populosas do país; a avaliação do lugar do município de São Gonçalo no Estado do Rio de Janeiro. O estudo de caso revelou-se exemplar para as reflexões históricas sobre as relações entre política de massas e transformações urbanísticas em cidades periféricas às grandes capitais do país durante a segunda metade do século XX.

 

Coordenador: Luís Reznik

Financiamento: UERJ / CNPq

O intelectual e a cidade: Luiz Palmier e a conformação da São Gonçalo moderna

2002 - 2005

Resumo: O projeto investigou a atuação do intelectual e político Luiz Palmier (1893-1955) em meio às transformações modernizadoras de São Gonçalo, município periférico ao Distrito Federal. Palmier se tornou figura emblemática na cidade, sobretudo a partir da década de 1920, através de sua atuação política, na imprensa e associações locais, bem como na constituição de agências locais nas áreas de saúde, educação e assistência social. Analisar a ação de Palmier na transformação do município deve ser entendido como o cruzamento de dois eixos analíticos: a biografia do intelectual - valores e ações do homem público - e a gestação da modernidade gonçalense. Nestes termos, o projeto pretendeu deslocar a ênfase que uma bibliografia tradicional concede a São Gonçalo o caráter de "Manchester fluminense" para uma modernidade ancorada na organização do Estado e nas ações do poder público local, particularmente nas áreas mencionadas.

 

Coordenador: Luís Reznik

Financiamento: CNPq / UERJ / FAPERJ

Explorando a Iconografia Gonçalense: Fotografia e História

2002-2003

 

Resumo: A fotografia é uma fonte para estudos da história contemporânea do município de São Gonçalo. Estamos tratando a fotografia como imagem/documento assim como imagem/monumento, delineando um uso social específico, impregnado de significação traduzida sob a forma do sentido histórico. Pretendemos apresentar à comunidade em geral de São Gonçalo o que a sociedade local quis perenizar de si mesma, suas representações e a construção de sua auto imagem. Já produzimos duas exposições fotográficas, dois catálogos, um caderno pedagógico, um banco de imagens digitalizadas e três vídeos-documentários.

Coordenadora: Haydée da Graça Ferreira de Figueiredo

Financiamento: UERJ

Guia de Fontes para a História de São Gonçalo

1996-1998

Resumo: O Guia de Fontes para a História de São Gonçalo foi o primeiro projeto do Grupo de Pesquisa História de São Gonçalo: Memória e Identidade. Surgiu a partir da indagação de onde e em que condições se encontravam os registros documentais referentes à história de São Gonçalo. Realizou-se um mapeamento e diagnóstico de instituições de acervo e da bibliografia até então produzida a respeito do município de São Gonçalo.

Coordenadores: Marcia de Almeida Gonçalves e Luís Reznik

Financiamento: UERJ

© 2020. Criado por História de São Gonçalo.

Redes sociais:

  • YouTube - Black Circle

Realização:

Apoio: